quarta-feira, 3 de abril de 2013

Intouchables

Intocáveis é o nome do filme que — com direito ao trocadilho — toca a sua alma e o seu coração.

O filme conta a história de um cara tetraplégico, o Philippe (com atuação de François Cluzet). Ele precisa de um assistente pra ajudá-lo no dia-a-dia com as coisas praticas e as não tão praticas. Só não faz essas coisas por causa do obvio: sua limitação física. Aí entra o Driss (Omar Sy). O Driss tem a maior pinta de mano, tá ligado? O cara é louco. Insano. E divertido. Mas... sempre tem uns "mas", né? Mas eu não vou contar muito sobre o que acontece no filme não! Não vou estragar a brincadeira. O que eu posso te dizer é o mesmo que está na sinopse original do filme: "o Driss não trata o Philippe como um pobre coitado". E isso, na forma como foi usada no filme — sem um senso de humor exagerado e/ou ridículo — é uma das coisas mais legais de se ver. O cara é tetraplégico, sim, mas ainda está vivo. É tão humano quanto o Criss. E isso rende uma história de amizade muito linda! 
Então, resumindo: eu acho que você precisa assistir! :D

Você pode assistir ao trailer clicando aqui ou acessando esse link: https://www.youtube.com/watch?v=FpwuGtn8aGA (dá na mesma). Tudo porque "a incorporação foi desativada mediante solicitação". 

Ah! Outra coisa que me conquistou nesse filme, foi a trilha sonora. Apesar de eu não ser muito fã de trilhas sonoras paradonas e meio depressivas, quando bem equilibradas, bem trabalhadas e muito bem  usadas, a coisa toda fica linda. É o caso da trilha sonora desse filme. É perfeita durante o filme! Mas não para por aí. Ela pode ser, também, por exemplo, ótima pra relaxar durante a leitura de um bom livro.

Do pianista e compositor Ludovico Einaudi (que eu não conhecia antes de ver esse filme), a música "Fly":


Sério. Sai da frente desse computador e corre lá na locadora do Nei pra alugar esse filme! Vale a pena mesmo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário